Conheça um pouco mais do vocabulário do setor metroferroviário

Ano de início da operação

clique e descubra

ano em que teve início a operação, com cobrança de tarifa, do primeiro trecho do sistema – ainda em operação – independentemente de alterações da razão social ao longo do tempo.

Bloqueio

clique e descubra

equipamento destinado à validação do título de transporte para permitir o acesso às estações. Separa a área paga da área livre da estação. É comum a utilização do termo catraca.

Carro.km (milhões)

clique e descubra

total anual de carro.km realizado para o transporte de passageiros. Corresponde à soma de todas as distâncias percorridas pelos carros – que formam as composições – para o transporte de passageiros. Não devem ser considerados carros que não transportem passageiros ou o período em que não estejam transportando passageiros, como, por exemplo, movimentação nos pátios ou entre pátios e estação ou, ainda, carros vazios sendo recolhidos para terminais ou pátios de estacionamento.

Consumo de energia elétrica de tração (MWh)

quantidade de eletricidade consumida para fazer os trens circular em linhas. Inclui as cargas auxiliares para os equipamentos dos trens, tais como iluminação, ventilação, ar condicionado, controle dos trens e sistema de comunicação ao passageiro.

Estação acessível

não apresenta barreiras à circulação de pessoas com mobilidade reduzida.

Extensão (km)

comprimento da rede utilizada pelos trens para o transporte de passageiros. Compreende a extensão operacional de todas as linhas da rede, considerando para cada linha o trecho compreendido entre o centro das plataformas das estações terminais utilizadas para o transporte de passageiros, somadas como a seguir. Linhas com duas vias (uma em cada sentido) devem ter seu comprimento contado apenas uma vez, ou seja, extensão de terminal a terminal incluindo quaisquer ramificações. Caso haja compartilhamento de vias entre linhas, os trechos compartilhados devem ser contados apenas uma vez. Não são consideradas as áreas de manobras, estacionamentos e pátios. As extensões de linhas com bitolas diferentes são somadas. As linhas com bitola mista são contadas uma só vez.

Número de carros por trem

quantidade média de carros operados para transporte de passageiros por trem. Calcula-se dividindo o número total de carros pelo número de trens formados por eles.

Número de linhas

quantidade de linhas em operação na rede, desconsiderando os anéis (loops) internos e serviços expressos.

Passagem em nível

cruzamento de uma ou mais linhas férreas com uma rodovia, no mesmo nível.

Velocidade comercial (km/h)

corresponde à distância (em quilômetros) percorrida por uma composição em operação no período de uma hora, no qual se consideram inclusive os tempos de parada nas estações intermediárias.

Bicicletário

clique e descubra

estrutura para o estacionamento de longa duração de bicicletas – com equipamentos de apoio, como banheiros – podendo estar localizado em áreas públicas ou privadas.

Capacidade.km (milhões)

clique e descubra

É uma medida da oferta real de lugares. Corresponde ao número de carro.km realizado multiplicado pela somatória dos assentos do carro mais a capacidade de passageiros em pé por metro quadrado. A capacidade de passageiros em pé por carro depende do tipo de veículo.

Catenária

clique e descubra

linha aérea de alimentação que transmite a energia elétrica para os trens. Os trens captam esta energia por meio de um pantógrafo. A catenária pode ser flexível (autocompensada) ou rígida.

Entradas de passageiros nos dias úteis, no ano

média de passageiros que viajaram de uma dada origem a certo destino nos dias úteis do ano, independentemente do número de linhas utilizadas, de transferências entre as linhas ou do pagamento de tarifa (gratuidades). Não são considerados como dias úteis os sábados, domingos, feriados e dias úteis atípicos. Considera-se um dia útil atípico quando a demanda realizada na rede é inferior a 70% ou superior a 130% da esperada para aquele dia.

Estação integrada

localizada em duas ou mais linhas, que permite a transferência de passageiros entre essas linhas.

Faixa de domínio

faixa de terreno de pequena largura em relação ao comprimento, em que se localizam as vias férreas e demais instalações da ferrovia, inclusive os acréscimos necessários à sua expansão.

Número de empregados

total de empregados contratados pelo operador, dedicados aos serviços de operação, manutenção e administração, excluindo estagiários e aprendizes.

Número total de carros

quantidade de carros que estão em condições de transportar passageiros e que estão disponíveis para esse fim. Não são incluídos os carros nas seguintes situações: novos que ainda não foram liberados para o serviço de transporte de passageiros; que deixaram de ser utilizados no serviço regular de transporte de passageiros, por exemplo, carros mantidos por motivos históricos; em manutenção, por um período superior a seis meses, mesmo considerados imobilizados.

Passageiro.km (milhões)

total anual de passageiro.km no sistema. Trata-se da soma de todas as distâncias viajadas por todos os passageiros. É obtido multiplicando-se o total de entradas de passageiros na rede pela viagem média dos passageiros.

Regime de contratação cativo

regime de contratação no qual o consumidor adquire a energia da concessionária de distribuição à qual está vinculado, cujas tarifas são reguladas pelo Estado – havendo o pagamento de uma única fatura relativa aos serviços de distribuição e geração.

Trem

composição

Bilhete

clique e descubra

meio que permite o acesso às áreas pagas das estações. Pode ser do tipo Edmonson (cartolina com tarja magnética) ou cartão inteligente (com ou sem contato).

Capacidade da linha

clique e descubra

número de passageiros transportados por sentido, por hora, em uma determinada modalidade de transporte.

Composição

clique e descubra

conjunto de carros que se deslocam juntos. É também utilizado o termo trem, metrô, VLT ou material rodante.

Entradas de passageiros por ano

total anual dos passageiros que viajaram da origem ao destino. É contabilizado o total de viagens, desde a entrada até a saída na estação de destino, independentemente do número de linhas utilizadas, de transferências entre as linhas ou do pagamento de tarifa (gratuidades). Quando há transferência de passageiros entre operadores distintos, esses passageiros são considerados nos dois sistemas.

Estação local

localizada em apenas uma linha, estando entre duas outras estações.

Headway (s)

intervalo entre trens.

Número de empregados terceirizados

total de empregados contratados por uma empresa intermediária (terceirizada), que prestam serviços ao operador para serviços de vigilância, limpeza, manutenção, etc. e ainda para os serviços de operação, manutenção e administração.

Pantógrafo

receptor de energia das locomotivas ou automotrizes, que se conecta com a catenária ou terceiro trilho para receber a energia elétrica.

Taxa de motorização

relação entre o número de veículos e o número de habitantes, sendo considerados apenas veículos como o automóvel, a caminhonete, a caminhoneta, o utilitário, a motocicleta e a motoneta.

Passageiros transportados nos dias úteis, no ano

média de passageiros que viajaram nas linhas da rede nos dias úteis do ano. Corresponde à média das entradas de passageiros pelas linhas de bloqueios com as transferências registradas entre as linhas nos dias úteis do ano. Caso a quantidade de passageiros que se transferem de uma linha para outra não seja contada por meio de bloqueio, devem ser utilizadas estimativas de pesquisa. Não são considerados como dias úteis os sábados, domingos, feriados e dias úteis atípicos. Considera-se um dia útil atípico quando a demanda realizada na rede é inferior a 70% ou superior a 130% da esperada para aquele dia.

Bitola

clique e descubra

distância entre as faces internas dos boletos dos trilhos, tomada na linha normal a essas faces, 16 mm abaixo do plano constituído pela superfície superior do boleto.

Carro

clique e descubra

uma unidade de uma composição, destinado para o transporte de passageiros.

Consumo de energia elétrica de auxiliares (MWh)

clique e descubra

quantidade de eletricidade consumida para alimentar estações, terminais, edifícios operacionais e outros equipamentos e infraestruturas fixas ou de suporte para a operação, exceto para a circulação de trens.

Estação

instalação fixa onde param os trens.

Estação terminal

localizada nas extremidades das linhas, não havendo estações posteriores a esta.

Material rodante

carro ou composição.

Número de estações da rede

quantidade de estações da rede independentemente da quantidade de linhas ou plataformas. Estações que atendem a mais de uma linha são contadas apenas uma vez. As estações operadas por mais de um operador são contabilizadas nos dois sistemas.

Paraciclo

suporte instalado em espaço público para a guarda de bicicletas por um curto período de tempo.

Passageiros transportados por ano

total anual de todos os passageiros que viajaram nas linhas da rede. Corresponde à soma das entradas de passageiros pelas linhas de bloqueios com as transferências registradas entre as linhas. Caso a quantidade de passageiros que se transferem de uma linha para outra não seja contada por meio de bloqueio, podem ser utilizadas estimativas de pesquisa.

Terceiro trilho

trilho extra, instalado nas linhas férreas, visando à transmissão de energia elétrica para tração dos trens, ao longo da via.

Tipo de sistema de tração (km)

quantidade em quilômetros por tipo de fonte de energia utilizada para a movimentação dos trens, podendo ser dos seguintes tipos: alimentação elétrica por terceiro trilho, alimentação elétrica por catenária autocompensada ou flexível, alimentação elétrica por catenária rígida e diesel.

Regime de contratação livre

regime de contratação no qual o consumidor adquire a energia diretamente dos geradores ou comercializadores, por meio de contratos com condições livremente negociadas – havendo o pagamento de uma fatura (com tarifa regulada) relativa aos serviços de distribuição e uma ou mais faturas (preço negociado) relativas à aquisição da energia.